Sleepy Hollow, A Serie

12:13


CONTEM SPOILERS!
      Eu tinha postado na pagina do blog sobre essa serie, conta a lenda do Cavaleiro sem cabeça nos dias atuais, mais precisamente a história de Ichabod Crane que acordou 250 anos no futuro com a missão de deter o apocalipse junto com a xerife local Abbie Mills.
      O piloto foi muito bom, mas pequenos detalhes me incomodaram bastante e não me deixaram ficar louca pela segundo episódio. Primeiro foram os efeitos especiais que eram uma vergonha, aquele padre manipulando as correntes, quase morri de tão feio que ficou. No final quando o cavaleiro aparece sem o machado e usando uma metralhadora, foi tão desapontante, eu ri de puro desespero vendo uma coisa que podia ser ótima indo em direção ao lixo. Outra coisa que eu não gostei, mas acho que muita gente vai considerar bobo, foi a atriz que faz Katrina (a esposa de Ichabod) ter o cabelo pintado de vermelho farmácia. Por que fazem isso? Você tem todo um orçamento para a caracterização dos personagens, caramba Tom Mison ficou perfeito como Ichabod, e pintam o cabelo da mulher com um vermelho farmácia, eu acho que se você vai fazer alguém ruivo (principalmente alguém que viveu em 1800 e batatinhas) tem que fazer direito, por que todo mundo ganha o figurino certo menos ela? Que fica com aquele vestido gótico cafona e clichê. Eu gosto da Abbie, mas a Katrina é a minha personagem favorita e eu adoraria que tomassem conta melhor dela, que a levassem mais a serio porque ela tem falas boas, mas às vezes parece que a história dela como uma bruxa está indo para um caminho bem boboca do tipo Luz contra Escuridão, Bruxa Boa contra Bruxa Má e isso é tão pobre. Se não fizerem certo vai ficar tão ruim, eles precisam explicar porque uma bruxa faz o certo e a outra não, o simples fato de uma ser boa e a outra má é estúpido. Todo mundo tem razões para os seus atos, isso é preciso ser explorado ou vai ficar vazio e difícil de acreditar. 
     Por exemplo, no segundo episódio aparece uma segunda bruxa, ela é colocada como uma força das trevas, uma criatura maligna. Por que uma bruxa matando pelos confederados é má e um soldado que vira a casaca e luta pela União é bom? Os dois estão matando. Eu quero a história por trás dessa Alta Sacerdotisa para entender porque eu devia considera-la má, só porque ela mata não é o suficiente, os soldados estavam fazendo isso também, só porque ela usa magia ao invés de espadas não faz diferença para mim. 
Faz diferença para quem a queimou por bruxaria, aquela era a mentalidade da época e também eles eram da união e queriam ganhar a guerra e ela estava dificultando as coisas para eles. É completamente compreensível ela acordar querendo vingança, ELA FOI QUEIMADA VIVA, mas se você quer que eu a odeie você precisa me explicar porque eu deveria porque todas as ações dela eram consistentes. 
Os soldados da União eram assassinos, os confederados eram assassinos e a Sacerdotisa era uma assassina, por que ela é maligna e os soldados não? Ela tem um pacto com o diabo? Ela bebe sangue de recém-nascidos? Ela quer destruir o mundo? Tem que ser mostrado porque tudo o que eu vi e foi dito é que ela estava lutando do lado dos confederados e ponto.
        Mas fora isso o roteiro é muito bem escrito, os diálogos são incríveis e os atores também, então eu dei uma segunda chance para a serie, eu queria ver para onde eles iriam com essa trama dos quatro cavaleiros do apocalipse. Também não queria cometer o mesmo erro que fiz com Elementary, tinha detestado o piloto com todas as minhas forças e hoje é uma das minhas series favoritas.
A serie pegou um clima Supernatural, o cavaleiro não apareceu pelo menos não pelos próximos dois episódios, apenas coisas sobrenaturais acontecendo e Ichabod e Abbie tendo que investigar, bem Sam e Dean. Eles até conseguiram um esconderijo para ficar pesquisando e discutindo o sobrenatural, essa parte eu achei legal, infelizmente os mesmo problemas do piloto continuaram e no terceiro episódio a única coisa que me fazia continuar assistindo, o roteiro, ficou ruim e forçado. 
       Não me entendam mal, eu gosto do Ichabod, mas um homem branco britânico que nasceu há 250 anos não ter nenhum tipo de preconceito? Ele é um santo? Nem mesmo um pouquinho de preconceito? Ele está de boa com uma mulher negra no comando, ele está de boa com índios, ele está de boa com tudo, como assim? Isso não faz sentido, eles podiam ter feito ele levemente machista e colocado a Abbie para tirar isso dele na medida em que a serie avançava ao invés de terem jogado um herói perfeito.
Não, olha eu errada, ele tinha sim um preconceito, quando descobriu que a mulher era uma bruxa ficou todo chateado, mas só por uns dois minutos e logo esqueceu. 
      A briga entre a Abbie e a irmã também já esta ficando sem sentido, quanto mais eles explicam, mais ridículo fica. Eles estão desesperadamente tentando fazer a raiva que a Jenny sente pela Abbie colar, mas não dá. Eu não acho que nem mostrando pelo ponto de vista da Jenny eles vão conseguir, pelo menos não para mim, Abbie estava certa em ficar de boca fechada, Jenny não tinha razão para contar o que viu na floresta ou ficar chateada porque Abbie não disse a verdade. As ações da Jenny parecem coisa de criança mimada e caprichosa, não tenho o mínimo de simpatia por esse personagem. Mas é apenas o terceiro episódio, posso mudar de ideia, mas é bem difícil.
 LIVRE DE SPOILERS
       Eu esperava tanto dessa serie, provavelmente eu teria gostado mais se não fosse pelo filme de Tim Burton que é simplesmente perfeito, estava esperando um clima parecido, sombrio e sinistro, mas também bonito e com uma fotografia de tirar o fôlego. A serie passou longe disso, é mal feita e mal dirigida, só que os atores se destacam junto com quem escreve, vou perdoar o terceiro episódio e dar uma chance final a serie. Eu acho que vocês deviam também porque isso é tudo baseado em minha opinião sozinha, vocês podem assistir e discordar de tudo o que eu disse, é altamente possível porque quando algo me incomoda em um livro/filme/serie geralmente passa despercebido pelas outras pessoas, eu me prendo muito nos detalhes.

You Might Also Like

0 comentários

PARA PENSAR

PARA PENSAR

CURTA A PÁGINA DO BLOG